Boletim de Notícias

Cadastre-se e receba informações do CRF AP no seu correio eletrônico

Periódico internacional publica artigo científico sobre rastreamento de diabetes feito por farmacêuticos

Postado em 13/10/2020 as 08:53:28

O periódico internacional Diabetology & Metabolic Syndrome publicou, nesta quinta-feira (8/10), o artigo científico ?Prevalência de pessoas em risco de desenvolver diabetes mellitus tipo 2 e o envolvimento de farmácias comunitárias em uma campanha nacional de triagem: uma ação pioneira no Brasil?. O artigo apresenta os resultados e conclusões da campanha ?diabetes não tem cara? realizada de 14 a 30 de novembro de 2018, pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF), com o apoio da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), para o rastreamento de casos suspeitos de diabetes mellitus, durante o Novembro Diabetes Azul 2018.

A ação mobilizou 977 farmacêuticos voluntários de 345 municípios no Brasil com o objetivo de identificar pessoas sem diagnóstico prévio de diabetes, com glicemia elevada e/ou risco de desenvolver a doença. Todos os participantes da pesquisa fizeram o teste de glicemia capilar e tiveram a circunferência abdominal, peso e altura medidos, além de terem sido submetidos à avaliação de risco de desenvolvimento do diabetes (Finnish Diabetes Risk Score - FINDRISC). Os resultados podem contribuir na melhoria das políticas pública de saúde e reforçar o papel dos farmacêuticos na triagem e em ações educativas voltadas para essa população não diagnosticada em um país de dimensões continentais como o Brasil.

O presidente do CFF, Walter Jorge João, agradeceu aos farmacêuticos, às farmácias participantes do rastreamento e a toda equipe que permitiu que esse projeto se tornasse realidade. Ele também destacou a qualidade dos resultados obtidos e a importância desses dados para a saúde pública. ?Essas informações são subsídios para ações efetivas voltadas à prevenção e ao controle do diabetes mellitus no país. Nossos próximos passos serão apresentar esses dados aos diferentes gestores de saúde no país, para que sejam utilizados como parâmetro e se revertam em medidas que possam de fato beneficiar a população?.

A médica Hermelinda Cordeiro Pedrosa, então presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes (SDB), na gestão 2018-2019, disse que foi uma satisfação muito grande compartilhar ações com o CFF, uma parceria iniciada em março de 2018. ?Nós acreditamos que a visão multidisciplinar, que é a marca da SDB, é fundamental para que nós possamos atuar em conjunto e, assim, ajudar mais as pessoas com diabetes em nosso país. As farmácias comunitárias demonstraram ser não só um ponto para se detectar, mas também para ajudar na educação das pessoas com diabetes. A SDB saúda todos os farmacêuticos e os que se envolveram nesse belo trabalho, com evidente representatividade nacional. Agora que esses dados estão devidamente publicados, um compromisso assumido pela SBD em disponibilizar a DMS para a primeira submissão que foi aceita meritocraticamente, o nosso trabalho é atuar de forma conjunta - endocrinologistas, diabetologistas, farmacêuticos, enfermeiros, nutricionistas, educadores ? para que possamos vincular ações também aos serviços de saúde e universidades em busca de diminuir essa doença que aumenta cada vez mais em nosso país?.

Um dos autores do artigo, o farmacêutico Cassyano Correr, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), explica que recebeu a missão do CFF de atuar como pesquisador principal e de fazer a ponte entre a UFPR e a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), em parceria com o professor Wendel Coura-Vital, para montar uma estrutura científica de estudo com grande contribuição de todos os envolvidos, o que inclui o corpo técnico do CFF e endocrinologistas da SBD. ?Nós conseguimos construir um protocolo clínico bem interessante, bem consistente. Eu vejo que a grande contribuição desse estudo foi trazer resultados recentes que nós não tínhamos no País, e que mostram o percentual da população brasileira que não têm diagnóstico de diabetes, e têm, não só fatores de risco, mas glicemia alterada e, portanto, um risco bastante elevado de desenvolver diabetes. Então, foi um estudo de detecção do diabetes oculto, do potencial diabetes oculto na sociedade, isso é uma coisa muito importante?.

O estudo foi aprovado pelos comitês de ética das universidades envolvidas e depois de analisados os resultados, foi apresentado, em primeira mão, no Congresso da Sociedade Brasileira de Diabetes 2019. ?É histórico, a meu ver, porque se trata do maior estudo privado já realizado de rastreamento de diabetes no Brasil, utilizando as farmácias e os farmacêuticos como profissionais na ponta, atendendo esses pacientes, então não só o lado da pesquisa é importante, mas, também, uma grande prestação de serviço que impactou quase 18 mil pacientes durante a campanha de diabetes 2018?, ressaltou Cassyano.

O professor da UFOP, Wendel Coura-Vital, destacou que parte do projeto também se tornou uma dissertação de mestrado sob sua orientação no Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas da Escola de Farmácia. ?Em breve, nós estaremos publicando um segundo trabalho, também fruto dos dados gerados no projeto, mostrando o risco de os pacientes desenvolverem diabetes no país, ao longo de 10 anos, em cada uma das regiões brasileiras. É um estudo que também contribuirá bastante nas políticas de saúde de nosso país. Portanto, agradeço muito ao CFF por essa colaboração de fundamental importância firmada entre UFOP, UFPA e SBD para o desenvolvimento desse projeto?.

Autores do artigo

Cassyano J. Correr & Roberto Pontarolo
Departamento de Farmácia, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Wendel Coura-Vital, Renata C. R. M. Nascimento & Lúbia G. Nascimento
Programa de Pós Graduação em Ciências Farmacêuticas, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Josélia C. Q. P. Frade, Eliete B. Pinheiro, Wesley M. Ferreira, Mônica S. A. Lenzi, José V. Almeida & Walter S. J. João
Conselho Federal de Farmácia (CFF)

Janice S. Reis
Sociedade Brasileira de Diabetes (SDB), Ensino e Pesquisa da Santa Casa de Belo Horizonte

Karla F. S. Melo
Sociedade Brasileira de Diabetes (SDB), Equipe de Diabetes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)

Hermelinda C. Pedrosa
Sociedade Brasileira de Diabetes (SDB), Secretaria de Estado da Saúde, Polo de Pesquisa da Unidade de Endocrinologia FEPECS-HRT, Brasília - DF

Leia o artigo em https://dmsjournal.biomedcentral.com/articles/10.1186/s13098-020-00593-5
 

Fonte: Comunicação do CFF
Autor: Murilo Caldas

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

De Segunda a Sexta-feira das 09h00 às 15h00 por agendamento.

(Atendendo ao Decreto Estadual nº 2026 e 2027de 30/06/2020)

Contato WhatsApp: (96) 98402-9836

"